>> Voltar a Home >> Enter to The Matrix!

EDITORIAL ABRIL 2009
CULTZONE anuncia boicote aos financiadores do esquadro da morte
Henrique Drovandi 2009-04-05
Meus amigos e leitores do portal CULTZONE (todos so na verdade meus amigos...). Declaro as voc que no ltimos tempos nada tinha me chocado tanto quanto ao filme que vi ontem (4/4) na mostra internacional de documentrios. Que por sinal foi escolhido como o melhor longa-metragem do festival. Chama-se Cidado Boilesen. um documentrio que retrata uma pequena poro da histria nacional nos anos de 68 a 72, em plena ditadura. Mas o filme no fala da ditadura em si, o que seria muito maante e redundante. A est o ponto chave do filme. Numa clara referncia ao filme Cidado Kane, que um dos melhores roteiros de todos os tempos, trabalhando um documentrio sobre a vida de Charles Foster Kane, um grande magnata das comunicaes e da indstria grfica americana (fico). A brincadeira do roteiro simples, mas genial... o filme se desenrola numa grande investigao sobre a vida de Kane. So colhidos depoimentos de amigos, ex-mulheres, mordomos e etc... E a cada depoimento vo se formando a mltiplas facetas do industrial na cabea do expectador. Envolto neste mistrio ainda h verdade por trs das ltimas palavras de Kane antes se sua morte "rosebud". Enfim importantssimo para quem gosta de cinema e literatura, s que o filme foi feito por Orson Wells e claro est em preto e branco... Voltamos ento para o nosso filme premiado:

Cidado Boilesen
O filme segue pela vida do personagem principal, indo at na sua infncia dinamarquesa e passando por sua condecorao pelo Rei Frederick aqui no Brasil com um medalha de seu pas. Isto muito interessante, pois nos torna familiares e mais intimos do proprio Boilesen, gerando uma empatia entre personagem e expectador. Ao decorrer do filme, o roteiro vai se desenrolando sobre a situao do Brasil na poca de 68, quando foi lanado o maior golpe do governo brasileiro sobre os direitos dos cidados: AI-5. Parece bobagem ficar falando disso novamente, mas foi essencial a criao este instrumento para a criao do DOPS e DOI-COD da vida. L muitos brasileiros foram vtimas, j sabemos do que, e nunca mais voltaram. O interessante para que os CODs existissem, foram necessrios esforos coletivos tanto de militares quanto de grandes empresrios brasileiros e internacionais. Formou-se ento uma dobradinha macabra: os empresrios financiavam as mortes e os militaes executavam. Fantstico. Tudo isso parece teoria da conspirao e etc... mas no. Tudo isto est documentado pelo filme com provas e tudo o mais. E ainda existem testemunhas oculares da histria que presenciaram os fatos, tanto do lado dos revolucionrios quanto dos capitalistas. Chegaram ao cmulo de pedir dinheiro emprestado no exteiror para financiar os DOPS no Brasil, com cnica alegao: "hoje somos ns, amanh sero vocs.". Isto mostra que operao CONDOR no Brasil foi alimentada pelos prprios brasileiros que estavam no poder epoca. Para quem no sabe, CONDOR era operao especial da CIA no Brasil para acabar com os revolucionrios comunistas e subversivos. Podemos citar ainda algumas organizaes paramilitares que atuavam na epoca como MRT e ALN, que aparecem no filme e tinham participao do militar Lamarca.

No caso dos empresrios, o principal lder da aliana da morte, era Henning Albert Boilesen, que arecadava dinheiro com empresrios de todo o Brasil, com uma bandeja, durante reunies semanais.(as dencias so to extensas, por isso o filme longa metragem). Os empresrios instalados no Brasil, principalmente os extrangeiros, temiam uma CUBANIZAO do Brasil, com liderana de Joo Goulart, o Jango. As indstrias multinacionais estavam no Brasil desde a era JK, nos anos 50, e tinham muito capital investido no Brasil. E as turbulncias nacionais comearam nos anos 60, principalmente depois da renncia de Jnio Quadros. Para evitar esta ameaa comunista, os prprios empresrios brasileiros (BRASIL ame-o ou deixe-o!) foram convencer o militares da ameaa comunista. Ento na verdade os militares foram apenas os ces de guarda da elite brasileira. Quem estava por trs do movimento armado nada mais eram do que os prprios brasileiros capitalistas que no queriam perder suas riquezas e investimentos, pois em CUBA houve confisco por parte do governo de terras e bens. E para isto sujaram suas mos de sangue. Para facilitar o trabalho de extermnio da populao brasileira, foram usados todos subterfgiospara burlar a democracia e os direitos humanos. Muitos brasileiros foram massacrados sem piedade e at hoje figuram na lista de desaparecidos. Hoje ns sabemos at onda vai extenso dos culpados.

Por isso o filme foi premiado, pois coloca o dedo na ferida e aponta os algozes da democracia brasileira. Vu foi levantado para a populao e ns da CULTZONE estamos chocados com tamanha brutalidade provinda da elite paulistana, num ato de verdadeiro Facismo. como se tivessemos um Hitler no julgado em nosso pas. E ainda h mais desenrolar dos fatos nisto tudo. Grandes personalidades da poltica do Brasil so entrevistadas no filme, como Celso Amorim ( Foi demitido da Embrafilme na poca porque aprovou o filme "Pra Frente Brasil" que citava o empresrio Boilesen e sua ligao com o esquadro da morte), Fernando Henrique Cardoso ( sabia de todo os esquemas do esquadro da morte e tudo o mais e mesmo assim nunca havia tocado no assunto), Jarbas Passarinho ( sabia de todo os esquemas de morte realizado em So Paulo e nunca falou nada), Jornalistas ( que sabiam at do esquema da bandeja dos cheques dos empresrios que financiavam as mortes e tambm nunca se pronunciaram) e at Delfim Neto ( que promovia os encontros da FIESP com os empresrios que financiavam as mortes).

Escrever sobre isto to ruim, que estou exausto, mas vamos l. E para completar o rol denncias vamos meter logo o p na jaca. Estou me baseando nas informaes que assisti ontem. Na poca havia uma lista de empresas que contribuiam com as mortes. Pasmem! Estou enlouquecido com tamanho descalabro com a sociedade brasileira. So muitas empresas que esto a at hoje e nos vendem produtos, servios, pontes, estradas e at jornais! E ns, reles cidados ingnuos compramos seus produtos e servios sem saber.

De posse desta lista em mos, Lamarca e seus camaradas, caaram vrios destes empresrios que acabaram sendo mortos. Boilesen foi atacado no dia 15 de abril de 1971 numa rua de So Paulo. No filme h uma verdadeira reconstituio da morte. Um crime no justifica o outro. Matar o empresrio no resolveu o problema e s o aumentou. Junto ao corpo foram deixados vrios panfletos com as siglas ALN e MRT. E mensagem era a seguinte: "dente por dente, olho por olho". Segundo o prprio filme, havia mais um grande empresrio na lista dos que morreriam.

E para isto sujaram suas mos de sangue.
Sebastio Camargo,, fundador da Camargo Corra. Aquela mesma da operao da PF Castelo de Areia, que prendeu os diretores por evaso de divisas. Vcs vem que a sujeira vem muito tempo antes de 2009. Bom, se estava na lista de Lamarca porque tinha culpa no cartrio. Acreditem nenhum revolucionrio burro de listar inocentes. A lista de empresas envolvidas to bombstica quanto o prprio filme. Entre elas esto duas empresas automobilsticas, um banco nacional, um grupo de comunicao, uma empresa petroqumica e uma federao de indstrias. Para evitar quaisquer confuses ns vamos informar quais so as empresas citadas no filme Cidado Boilesen. estarrecedor:
FORD e GM, sim as montadoras no queriam mudanas no status quo e financiaram as mortes pelo DOPS.
Bradesco o banco tambm citado no filme.
Folha de So Paulo O grupo folha cedia os carros da redao para agentes do DOPS utilizarem em suas operaes.
FIESP Participava dos encontros dos empresrios com Boilesen e Delfim Neto.
Ultrags Com uma frota enorme de caminhes de entrega de gs em So Paulo, serviam para informar onde haviam atividades terroristas ou subversivas. O presidente da Companhia poca era Henning Albert Boilesen at 1971, quando foi morto.

Quer dizer que estas empresas participaram deste esquema sujo e vil. Se vc tem algum parente que morreu ou est desaparecido desde a ditadura, como voc se sente?
Segundo o filme, h muitos outros nomes na lista que no foram divulgados.

Boicote aos financiadores do esquadro da morte.
Como ns somos adeptos do preceitos de Mahatma Ghandi, ns pregamos a no violncia. Ento a melhor soluo no pegar em armas ou fazer protestos. A melhor soluo se afastar destas empresas e marcas macabras. Eu tenho uma poupana bradesco, e vou fech-la. Vou abrir em outro banco. Carros GM e Ford, nunca mais. Folha de So Paulo e Uol, nunca mais entro para ler nem sequer uma notcia. Porque? Por que no quero sujar as minhas mos de sangue tambm. Cada um que consome seus produtos ou servios est aceitando as atrocidades cometidas e negando os direitos humanos dos brasileiros, assim como eles. Comprar seus produtos e servios sujar as mos de sangue verde-amarelo.

Aquele abrao

Henrique Drovandi - E-Mail

Diretor & Editor


Pensamento profundo de Alfred E. Neuman
?No cutuque feridas alheias. Pode ser contagioso.?




CULTZONE

Anunciar na CULTZONE  muito fcil


Termo de Uso No Obrigatrio, apenas para fins legais

101 Copyright © 2003-2005-2006-2007-2008-2009-2010-2011-2012-2019 CULTZONEZai AGÊNCIA CRIATIVA.
Todos os Direitos Reservados CULTZONEGroup
Powered by CULTZONE WebSolutions
CULTZONE IT'S A TRADEMARK. DON'T COPY!

Read book